top of page

DOENÇAS NEGLIGENCIADAS

Por: Bruno Alves Pereira (IC-FAPERJ), Nayane Abreu do Amaral e Silva (Doutoranda PPGQ-UFF), Drª. Daniela de Luna Martins (PPGQ-UFF)


O termo Doenças Negligenciadas (DN), proposto pela primeira vez em 1970, pode ser utilizado para descrever doenças parasitárias ou infecciosas que acometem pessoas pobres em situação de vulnerabilidade. [1]

Desde sua criação, este termo já esteve relacionado a diversas definições. À princípio, descrevia doenças negligenciadas pelas agências de fomento que quase não investiam nestas pesquisas. Posteriormente, foi aplicado para designar doenças para as quais a indústria farmacêutica não desenvolvia medicamentos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) já empregou este termo para descrever doenças causadas pela pobreza, chegando ao entendimento atual de que tais doenças são também causadoras de pobreza. [2]


Em 2021 as seguintes doenças foram classificadas como doenças tropicais negligenciadas pela OMS: Doença de Chagas, Doença do Sono, Leishmanioses, Filarioses, Esquistossomose, Hanseníase, Dengue e Chikungunya, Ascaridíase, Tricuríase, Necatoríase e Ancilostomíase, Tracoma, Dracunculíase, Equinococose, Raiva, Bouba, Teníase e cisticercose, Trematodíase de origem alimentar, Úlcera de buruli, Micetoma e outras micoses profundas; Oncocercose, Ectoparasitoses e, também, envenenamentos por picadas de cobras.[3]

Na Tabela 1, têm-se informações sobre algumas DNs.


Tabela 1 - Relação entre algumas Doenças Negligenciadas e seus agentes etiológicos e acometidos [3]


As doenças negligenciadas são endêmicas em regiões pobres da África, Ásia e Américas. Embora sejam consideradas problemas de saúde pública, ainda há pouco investimento das grandes indústrias farmacêuticas na busca de novos medicamentos e terapias para estas doenças. O baixo poder aquisitivo das populações acometidas pode explicar o posicionamento das indústrias farmacêuticas, devido à baixa expectativa de retorno financeiro. [3]

Dentro do contexto de dificuldades associado às DNs, no ano de 2003, foi criada uma organização de pesquisa e desenvolvimento sem fins lucrativos com finalidade de oferecer novos tratamentos para esse conjunto de doenças: a Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi). O escritório regional da DNDi na América Latina está sediado no Rio de Janeiro e a organização possui parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). [6]

Segundo a DNDi, no período de 2000-2011, apenas 4% dos novos produtos terapêuticos aprovados foram voltados para as DNs. [4] Além da prevalência da Doença de Chagas, Leishmaniose e Hanseníase, o país também apresenta altas taxas de infecções por outras doenças como HIV, Tuberculose [5] e Malária. [2]

Mais de 1 bilhão de pessoas são acometidas por estas doenças que podem causar, além da dor e incapacitação, a morte. [7]

O Brasil representa 90% da carga das DNs na América Latina e Caribe, com prevalência da Doença de Chagas, das Leishmanioses, e da Hanseníase. [2]

Erradicar as doenças negligenciadas é um dos desafios da OMS para serem alcançadas mundialmente até 2030, sendo a meta 3.3 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Nesta meta, pontua-se: “Até 2030, acabar com as epidemias de AIDS, tuberculose, malária e doenças tropicais negligenciadas, e combater a hepatite, doenças transmitidas pela água, e outras doenças transmissíveis.” [8]


Referências Bibliográficas:


[1] W. Souza; Doenças negligenciadas; Academia Brasileira de Ciências; Rio de Janeiro, 2010.


[2] Sítio do Portal Fiocruz. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/fiocruz-debate-doencas-negligenciadas-e-agenda-2030. Acesso: 02 junho 2021.


[3] World Health Organization (Ending the neglect to attain the Sustainable Development Goals A road map for neglected tropical diseases 2021–2030). Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/9789240010352. Acesso: 29 julho 2021.


[4] Sítio da Agência Fiocruz de Notícias. Disponível em: https://agencia.fiocruz.br/doencas-negligenciadas. Acesso: 22 junho 2021.


[5] Sobre a tuberculose, confira o nosso post no Blog: https://www.danielamartinsgroup.com.br/post/tuberculose (Português). https://en.danielamartinsgroup.com.br/post/tuberculosis (Inglês).


[6] Sítio da Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas. Disponível em: https://www.dndial.org/. Acesso: 27 junho 2021.


[7] Organização Pan-Americana de Saúde. Disponível em: https://www.paho.org/pt/noticias/29-1-2021-oms-lanca-plano-10-anos-para-acabar-com-sofrimento-causado-por-doencas-tropicais . Acesso: 27 junho 2021.


[8] Sítio das Nações Unidas no Brasil. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/3. Acesso: 02 junho 2021.


Posts recentes

Ver tudo

2 comentarios


Daniela Martins
Daniela Martins
05 ago 2021

Precisamos nos envolver em espalhar o conhecimento que pode levar nosso país pra frente. Vamos vencer esses problemas!

Me gusta

Que interessante!!! Realmente... precisamos nos atentar para essas "doenças negligenciadas" ! muito bom!!

Me gusta
bottom of page